shutterstock_95252467

São Paulo – Em busca de uma resposta para a pergunta “Qual o maior temor dos internautas?”, o Yahoo! resolveu compartilhar com o Mashable quais as fobias mais procuradas pelos usuários do site de busca em agosto deste ano.

Afinal, até mesmo os médicos utilizam ferramentas de busca como auxílio nos diagnósticos, como mostrou uma pesquisa publicada no site da revista científica British Medical Journal. E se os profissionais da saúde utilizam a Internet, os curiosos cidadãos comuns não ficariam de fora. O Adnews exibe abaixo as definições mostradas como resultado de busca pelo próprio Yahoo!.

Confira o Top 10 e suas respectivas definições:

1. Agorafobia

“A Agorafobia é o comportamento de evitação provocado por lugares ou situações onde o escape seria difícil ou embaraçoso caso se tenha uma crise de pânico ou algum mal estar.”

2. Xenofobia

“Xenofobia é o medo irracional, aversão ou a profunda antipatia em relação aos estrangeiros, a desconfiança em relação a pessoas estranhas ao meio daquele que as julga ou que vêm de fora do seu país.”

3. Tripofobia

“É o medo de buracos encadeados, especialmente em formas orgânicas.”

4. Claustrofobia

“A claustrofobia é a fobia que se caracteriza pela aversão ao confinamento. Pessoas com claustrofobia costumam evitar elevadores, trens ou comboios e aviões. A claustrofobia também pode se manifestar no meio de multidões.”

5. Aracnofobia

“Aracnofobia é o medo (ou fobia) de aracnídeos. É possivelmente a fobia de animais mais extensa.”

6. Fotofobia

“Fotofobia é o nome dado à sensibilidade excessiva à claridade e à luz solar.”

7. Homofobia

“Homofobia é uma série de atitudes e sentimentos negativos em relação a pessoas homossexuais, bissexuais e, em alguns casos, contra transgêneros e pessoas intersexuais.”

8. Glossofobia

“Glossofobia é o medo de falar em público.”

9. Acrofobia

“A acrofobia o mesmo que ‘larofobia’ é o medo irracional de lugares altos.”

10. Hobofobia

“Hobofobia se caracteriza por um medo, uma fobia constante e inexplicável acerca de mendigos e bêbados”

 

Fonte: Exame

Posts relacionados: