afraid-600x338

Conheça os principais tipos de medo:

Medo equilibrante: é positivo porque nos protege diante dos perigos reais e nos alerta para o fato de cuidarmos com carinho do que temos e das pessoas que amamos para não perdermos.

Medo destruidor: este tipo arruína nossos interesses, não contribui para nossa evolução, sabota nossos desejos e freia nossos talentos.

Medo genético: de acordo com cientistas, nascemos com 3 tipos de medos (o de som alto, o de cair e de ser abandonado), os outros adquirimos.

Medo adquirido: foram programados através de experiências, informações, repetições e acontecimentos.
Medo real: gera precaução. A precaução é um estado de proteção que tomamos quando existe perigo real ( preservação da vida).

Medo irreal: é o que nos domina e nos impede de tomar as atitudes necessárias e adequadas, no momento certo. Este tipo de medo está baseado somente na imaginação e não na razão. Ele normalmente envolve o que pode acontecer no futuro e não ao que está acontecendo.

Efeitos do medo

Fisiológico: há uma resposta fisiológica que libera o cortisol (hormônios do estresse), que nos prepara para lutar ou fugir. O coração bate mais forte, há uma descarga de corticoides (hormônio do medo), a pressão sanguínea sobe, os músculos ficam tensos, as artérias dilatam-se, a transpiração aumenta e o nosso fígado libera glicose.Emocional: cumprida sua função de alertar ao organismo, o temor deve diminuir, caso contrário, torna-se inútil e perigoso. O descontrole desse processo aniquila a capacidade de adaptação do organismo e provoca um estado de paralisia emocional. Ele corrói a sua autoconfiança, desvia sua atenção e rouba sua energia realizadora. Após dominá-lo, ele passa a definir o que você pode e não pode ter, ser ou fazer em sua vida;

Como o medo o aprisiona?

  • O medo nunca age só, ele usa muitos motivos para afligi-lo. Apresenta-se normalmente como: medo das pessoas, do desconhecido, de errar, de falhar, de ser rejeitado, de assumir riscos, de perder, de fracassar e do sucesso;
  • O medo é muito esperto, ele se agarra em você. Quando ele encontra espaço dentro de você, ele alimenta-se dos seus pensamentos e desperta ainda mais medos;
  • O medo é incrivelmente contagioso, é como um vírus que ataca suas emoções. Muitas vezes medos que não são nem teus lhe atormentam;
  • Medo atrai medo, portanto, você atrai o que teme e muitas vezes você cria as próprias situações que teme;
  • O medo normalmente é imaginário e você o tornou real em sua mente. Ele não tem qualquer poder em si, seu único poder é aquele que damos para ele;
  • A força dele sobre você é aumentada pelo respeito que você tem a ele. Quanto mais o respeitar mais forte ele será. Quanto mais fugir dele mais forte ele ficará e mais presente estará em sua vida, portanto, domine-o;
  • O problema do medo não é sua existência, e sim o seu domínio. É aí que ele se transforma em uma prisão para você.

Superando o medo fisicamente

Respire: quando se tem medo a respiração fica alterada.
Respire lentamente e profundamente (respire contando até 4 e expire contando até 2);
Relaxe: quando se tem medo, o corpo fica rígido.
Realize movimentos de relaxamento.

Superando o medo emocionalmente

Assuma o comando sobre o medo: defina conscientemente quem tem o controle. Encoste-o na parede. A batalha contra o medo tem que ser feita por você. Exponha-se gradualmente ao objeto do medo, naturalmente, sempre respeitando o seu limite para esse contato. Inicialmente, comece expondo-se a imagem (foto ou vídeo) do que lhe causa medo.Questione seus medos: questione sobre os efeitos que o medo causa em você. Tenha em mente que em sua maioria os medos são infundados; portanto, questione fundamentos do seu medo. Não deixe ele lhe convencer que ele está salvando ou lhe protegendo, quando na maioria das vezes ele está apenas paralisando suas ações. Procure sempre a lógica do seu medo.

Cale-os em sua mente: o próximo passo é calar a voz do medo dentro de você. Você não pode impedir que os medos lhe ataquem, mas pode impedir que eles façam ninhos. Toda vez que você pensa no medo, você o está alimentando e fortalecendo a crença que ele pode dominá-lo. Ele cresce de acordo com aquilo que você o alimenta. Proteja-se, não lhe dando ouvidos e eles serão vencidos pela escassez de estímulos.

Prepare-se: busque conhecimento, teórico e prático. Ele não resiste à informação.

Enfrente-o diretamente: o medo foge no momento que o enfrentamos. Não tente negá-lo. Isto só o fortaleceria. Não se entregue ao medo, mas não o ignore. Ele pode ser dominado desde que você convença-se de que a origem dele está em seu íntimo, e não fora, no mundo exterior, bem como, que ele está sobre controle dos seus pensamentos;

Alimente sua fé: a fé é o poder de crer sem ver. Crie a fé em você e em sua capacidade de lidar com os desafios da vida. Tenha fé na fé. A fé cria uma presença dominadora. Quando temos fé, nossa mente encontra meios de fazer o que deve ser feito. Alimente-a e terá uma importante aliada para lidar com seus medos, mas esteja atento porque o medo é teimoso e tentará invadir sua nova verdade, com o vírus das dúvidas.

Aja com coragem: a ação cura o medo e o adiamento e a indecisão aumentam o seu controle sobre você. Aja corajosamente para fora da sua zona de conforto.
A coragem não é a ausência do medo, é sim a capacidade de agir, apesar do medo. Coragem, em outras palavras, é o domínio do medo em todas as suas piores manifestações. Corra em direção aos seus medos. Faça todos os dias como exercício, algo que teme. A ação elimina o medo. Faça aquilo que tem medo e ele desaparecerá. Faça-o tremendo, se for o caso, mas faça-o. Adote uma postura corajosa em relação à vida.

Linha do tempo: volte seus pensamentos para o passado, onde tudo (possivelmente) começou e busque tranquilizar sua mente, deixando para trás o que passou. Gradualmente, vá avançando no tempo e espaço com o pensamento até o presente, imaginando a superação do medo e a visualização do futuro com a cura plena de qualquer sofrimento referente a esse tema.

Modele-se: observe como alguém que não tem medo (o mesmo que você) lida com a situação. Como é sua postura corporal? Como é sua respiração? O que a pessoa pensa sobre o tema? Como ela se sente? Perceba todas as características e comece a implantar em sua vida.
Sejam quais forem os seus temores, é importante que haja um enfrentamento direto dos mesmos, de forma persistente e irredutível.

Liberte-se dos seus medos!

(Via R7)

Posts relacionados: