A Academia Nacional de Ciências norte-americana está a estudar como é que se transmite a ansiedade e a depressão de pais para filhos.

naom_559cdeb80aed3

De acordo com a Organização Mundial de Saúde, a ansiedade e a depressão afetam milhões de pessoas por todo o mundo e são a principal fonte de incapacidade.

Algumas crianças desenvolvem, desde muito cedo, um temperamento extremamente ansioso, que aumenta a predisposição para desenvolver problemas de humor e até depressão. A Academia Nacional de Ciências norte-americana está a estudar como é que se transmite a ansiedade e a depressão de pais para filhos.

A chave para este processo hereditário está num circuito cerebral sobrecarregado desde a infância que potencia o risco genético, reporta o ABC.

Cerca de metade das crianças que apresentam ansiedade extrema na infânciachegam a desenvolver transtornos relacionados com o stress no futuro. Um estudo publicado no site da Academia Nacional de Ciência norte-americana (‘Proceedings of the National Academy of Sciences’) fornece informações relevantes sobre o risco de a ansiedade e a depressão passar de pais para filhos.

O estudo desenvolvido pelo Departamento de Psiquiatria da Universidade de Wisconsin-Madison explica que há um circuito cerebral sobre ativado que implica três áreas do cérebro que passa de geração em geração e pode ser responsável pelo desenvolvimento de ansiedade e transtornos depressivos.

O estudo sugere que as crianças excessivamente ansiosas têm reações exageradas a potenciais ameaças. E esta hipersensibilidade faz com que sejam amis suscetíveis a desenvolver ansiedade e/ou depressão na vida adulta.

Esta hipersensibilidade corresponde a uma atividade muito elevada do circuito cerebral que interliga o sistema límbico (emoções), o córtex pré-frontal (planificação e tomada de decisões) e o mesencéfalo (movimento e dor). Os investigadores creem que “o excesso de atividade destas três regiões cerebrais se deve a alteração hereditárias que estão diretamente relacionadas com o risco de desenvolver ansiedade e depressão mais tarde”.

(Via Notícias ao Minuto)

Posts relacionados: