A ansiedade pode tanto trabalhar a seu favor como contra você. É preciso que adotemos o conceito de equilíbrio para garantir que a nossa produtividade se mantenha inabalável

tratamento-para-a-ansiedade

Por Matheus Krueger

Se existe algo que está causando pânico em centenas de milhares de pessoas no mundo dos negócios é a palavra ansiedade. Nesse ramo, ela normalmente é causada pelo pensamento futuro, quando antecipamos coisas que nem mesmo aconteceram até o presente momento. É um dos problemas que mais leva pessoas para os hospitais e psicólogos, e é o tema de mais de 300 mil livros escritor ao redor do mundo.

Está na moda falar sobre a ansiedade e sobre os grandes males causados por ela, mas poucos se atentam aos seus benefícios. A mídia global criou tanto sensacionalismo em cima disso que fez com que nós, meros seres humanos, associássemos esta palavra a algo ruim, algo destrutivo.

Vamos imaginar uma situação hipotética.

Você está no seu trabalho, conseguiu adiantar bastante serviço e está com a mente livre. É sexta-feira, e você já se apronta para o churrasco que vai acontecer na casa do seu amigo de noite. De repente, passa na sua mente um pensamento furtivo, uma leve lembrança de que você está se esquecendo de algo. Imaginando que não é nada de importante, você sai do trabalho e vai para a casa de seu amigo apreciar uma boa cerveja.

De repente, aquele pensamento volta a passar furtivamente por sua mente, e você começa a se preocupar. A o seu nível de ansiedade começa a subir levemente, pois você imagina que está se esquecendo de algo extremamente importante. Quando você está quase indo embora do evento, o pensamento retorna completamente: você se esqueceu de que precisa entregar um relatório contábil importante para o seu chefe na segunda-feira.

É então que o seu nível de ansiedade explode e te leva ao pânico. A sua mente trava completamente e você já assume o pior: “Não vou conseguir terminar a tempo, e meu chefe vai querer me pendurar pelo pescoço”. Para tentar resolver essa situação, você se coloca a trabalhar o resto do final de semana no relatório, a fim de não passar a imagem de irresponsável para seu empregador. E em todo o momento, a ansiedade ainda está lá, presente e pulsante.

Agora vamos parar e analisar a situação: Se o nosso corpo (ou a nossa mente) não criasse a sensação de ansiedade que sentimos, será que nós nos importaríamos em tentar terminar o relatório em um fim de semana?

A ansiedade é uma faca de dois gumes. Por um lado, ela causa pânico e bloqueia todo e qualquer pensamento racional, podendo até mesmo causar úlceras, alergias e hipertensões. Por outro lado, é ela que se manifesta quando procuramos ser responsáveis e fazer a coisa certa.

Existe um conceito da psicologia que explica muito bem isso, e podemos chamar este conceito de“As Três Zonas”. Elas são compostas pela Zona de Conforto, pela Zona de Aprendizado e pela Zona do Pânico.

A Zona de Conforto, como muitos já devem conhecer, é quando nos sentimos completamente familiarizados e no controle do que estamos fazendo. Isso faz com que o nosso nível de ansiedade permaneça baixo, e acabamos evitando o estresse também. É uma zona que não possui palavras como incerteza, escassez, vulnerabilidade ou volatilidade.

A Zona de Aprendizado é quando nos sentimos desafiados, enfrentamos novos obstáculos e aprendemos coisas novas. O nosso cérebro não consegue aprender algo sem que ele se sinta pressionado de alguma forma, e nesta zona a pressão aparece através de um nível moderado de ansiedade. É fácil testar isso: faça algo que você não se sente confortável fazendo, e verá que o seu nível de ansiedade começa a subir no mesmo instante que você pensa sobre isso.

A última zona é a Zona de Pânico, caracterizada por uma ansiedade tão forte que torna impossível qualquer análise racional ou qualquer pensamento organizado. É um estado mental que entramos no modo “lutar ou fugir”, um tudo ou nada que é específica da nossa mente emocional, inconsciente.

Conhecendo estas três zonas, podemos concluir claramente que a ansiedade é algo extremamente importante para nós como pessoas e para as nossas organizações. Sem a ansiedade no local de trabalho, as pessoas seriam muito menos produtivas, e provavelmente permaneceriam em suas zonas de conforto. E também podemos concluir que a ansiedade, em doses cavalares, leva a problemas sérios.

E  aqui está o conceito mais importante de hoje: Equilíbrio. Tudo na vida gira em torno desta palavra, e a ansiedade não é uma exceção. Se encontrarmos o nosso ponto ideal, seremos mais produtivos. Se passarmos do ponto, perdemos a razão. Se esquecermos completamente dela, estagnamos e deixamos a vida nos levar.

Procure pelo seu ponto de equilíbrio e você verá a diferença.

(Via Administradores)

Posts relacionados: