Sem categoria Archive

Nomofobia: uso excessivo de celular pode levar à ansiedade, tremor e até depressão

marinaknobl

Aos 23 anos, Marina já passou pelas redações Globo Rural e GALILEU e também pela Comunicação Corporativa da Editora Globo durante o Programa de estágio. Atualmente é assistente editorial da GloboPress. Apaixonada por tecnologia, psicologia e temas curiosos como a Fobia, pretende atuar na área de jornalismo científico, escrevendo sobre saúde e bem-estar.
Tempo no celular não significa vício, mas é preciso cuidado com as consequências   Ansiedade, perda de contato com pessoas próximas, sentir-se mais feliz na vida virtual que na realidade, se preocupar com as curtidas e compartilhamentos de uma foto, e deixar de aproveitar os momentos da

Falando sobre ansiedade

marinaknobl

Aos 23 anos, Marina já passou pelas redações Globo Rural e GALILEU e também pela Comunicação Corporativa da Editora Globo durante o Programa de estágio. Atualmente é assistente editorial da GloboPress. Apaixonada por tecnologia, psicologia e temas curiosos como a Fobia, pretende atuar na área de jornalismo científico, escrevendo sobre saúde e bem-estar.
Por Sandra Abud Ansiedade é um grande mal-estar físico e psíquico.  É uma aflição incontrolável. Ansiedade é sofrer por antecipação o tempo todo. Para quem sofre de ansiedade crônica, parece ser impossível ajustar seu relógio pessoal com o relógio real, objetivo que serve de referência para os calendários

Sexting e bullying alimentam depressão nos adolescentes

marinaknobl

Aos 23 anos, Marina já passou pelas redações Globo Rural e GALILEU e também pela Comunicação Corporativa da Editora Globo durante o Programa de estágio. Atualmente é assistente editorial da GloboPress. Apaixonada por tecnologia, psicologia e temas curiosos como a Fobia, pretende atuar na área de jornalismo científico, escrevendo sobre saúde e bem-estar.
A depressão na adolescência não para de aumentar e os psiquiatras apontam o dedo às mensagens de teor sexual e ao bullying  De acordo com dados do Priory Group – a maior Organização, em Inglaterra, de hospitais e clínicas de saúde mental – o “sexting”, partilhar fotografias

Será que é ansiedade? Saiba como identificar o problema no seu filho

marinaknobl

Aos 23 anos, Marina já passou pelas redações Globo Rural e GALILEU e também pela Comunicação Corporativa da Editora Globo durante o Programa de estágio. Atualmente é assistente editorial da GloboPress. Apaixonada por tecnologia, psicologia e temas curiosos como a Fobia, pretende atuar na área de jornalismo científico, escrevendo sobre saúde e bem-estar.
Ansiedade não é só coisa de adulto. As crianças também sofrem com ela quando ficam mais preocupadas com a projeção do futuro do que com o presente. Claro que é normal esperar pela festa de aniversário ou pela viagem para a praia. Mas, quando o frio na

Sujeito quase é demitido por ter fobia do número 13

Ana Carolina Gandara

Carolina Gandara tem 24 anos, é brasileira, casada e tem como principal objetivo conhecer o mundo. Trabalhou durante três anos na Rede CNT de televisão como produtora e editora de texto dos programas Noticias & Mais e Leão Lobo Visita. Atualmente exerce a função de diagramadora da Revista Istoé.
Um britânico quase perdeu o emprego por sofrer de triscaidecafobia. Nomezinho estranho, né? Pois isso aí não é contagioso e nem mortal. Trata-se apenas de um fobia intensa ao número 13. Paul McNicol, 44 anos, morria de medo do número de sorte do Zagallo. O cara não

Com fobia de outros alimentos, jovem só come batatas

Ana Carolina Gandara

Carolina Gandara tem 24 anos, é brasileira, casada e tem como principal objetivo conhecer o mundo. Trabalhou durante três anos na Rede CNT de televisão como produtora e editora de texto dos programas Noticias & Mais e Leão Lobo Visita. Atualmente exerce a função de diagramadora da Revista Istoé.
A garçonete Claire Jones, de 23 anos, já comeu mais de 13 mil batatas assadas. Tudo porque ela tem pânico e fobia de pensar em comer outros alimentos. Segundo o jornal britânico, Daily Mail, ela tem uma doença estranha em que apenas consegue comer batatas, queijo cheddar e

“O DSM-5 é o melhor que temos para diagnosticar os transtornos mentais”

marinaknobl

Aos 23 anos, Marina já passou pelas redações Globo Rural e GALILEU e também pela Comunicação Corporativa da Editora Globo durante o Programa de estágio. Atualmente é assistente editorial da GloboPress. Apaixonada por tecnologia, psicologia e temas curiosos como a Fobia, pretende atuar na área de jornalismo científico, escrevendo sobre saúde e bem-estar.
Vivian Carrer Elias Em entrevista ao site de VEJA, David Kupfer, chefe do grupo que revisou o novo Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais, defende a edição mais recente da controversa “bíblia da psiquiatria” Os especialistas convocados para participar do grupo que revisa cada edição do