ansiedade130416

Uma equipe de cientistas canadianos afirma que a ansiedade e a depressão podem ter relação com as bactérias que vivem no intestino. O trabalho foi publicado na revista Nature Communications.

A pesquisa, feita em ratos, sugere que sintomas de ansiedade e depressão provocados pela exposição ao stress no início da vida aparecem somente com a presença de germes no intestino.

Os resultados reforçam descobertas de pesquisas anteriores. Numa delas, os pesquisadores descobriram que camundongos sem a presença de bactérias no intestino eram menos propensos a apresentar comportamentos ansiosos.

O trabalho actual avaliou animais que tinham sido expostos a uma experiência stressante no início da vida – foram separados das suas mães precocemente. Ao crescer, apresentaram comportamentos semelhantes ao de pessoas ansiosas e deprimidas, além de disfunção intestinal e níveis anormais da hormona do stresse.

Já as cobaias livres de germes expostas ao mesmo tipo de stresse não apresentaram quaisquer sinais de ansiedade ou depressão mais tarde.

Os cientistas, depois, transferiram as bactérias dos ratos normais, também expostos à experiência traumatizante, para os animais livres de germes. Em pouco tempo, estes passaram a apresentar os comportamentos depressivos e ansiosos. Os resultados foram noticiados pelo jornal britânico Independent.

Segundo o principal autor, Premysl Bercik, da Universidade McMaster, ainda é preciso testar a hipótese em seres humanos. Mas ele acredita que terapias que têm como alvo a microbiota intestinal podem, no futuro, beneficiar pacientes com transtornos psiquiátricos.

(Via Diário Digital)

Posts relacionados: