A ansiedade foi relacionada com o tempo em que as pessoas ficam sentadas

A ansiedade foi relacionada com o tempo em que as pessoas ficam sentadas

Um estudo publicado por pesquisadores da Universidade de Deakin, emMelbourne (Austrália), mostrou que os longos períodos sentados no sofá é prejudicial para a saúde mental e o bem-estar. A pesquisa foi conduzida por Megan Teychenne, do Centro de Pesquisa de Atividade Física e Nutrição da universidade e publicada no periódico BMC Public Health.

Os cientistas conseguiram identificar uma ligação estreita entre a vida sedentária e a ansiedade, mesmo que não tenham ficado evidentes a causa e o efeito. De acordo com a pesquisa, as pessoas que ficam grande parte do dia sentadas em frente ao computador, à TV ou ao videogame são mais propensas a se sentirem ansiosas. O teste foi realizado com crianças e adultos que passam grande parte de seus dias jogando vídeo game, navegando na internet e assistindo televisão. As informações são do ‘The Daily Mail’.

De acordo com a pesquisa, o grupo observado é mais propenso a ter ataques de ansiedade se comparado com pessoas com uma rotina ativa. A condição resulta em sintomas físicos tal como batimento cardíaco acelerado, dificuldade respiratória, músculos tensos e dores de cabeça.Isso sugere que o sedentarismo não favorece somente a obesidade: o risco de ser ansioso aumenta proporcionalmente de acordo com o tempo transcorrido de sedentarismo, como ficar parado ou sentado.

Os pesquisadores analisaram nove estudos que tinham examinado especificamente a associação entre comportamento sedentário e ansiedade. Em todos eles, o sedentarismo está associado ao aumento do risco de ansiedade.

Na sociedade em que vivemos, especialmente nos países desenvolvidos, ficar sentado por longos períodos se tornou uma norma, diz Teychenne. “O ponto importante é que existe uma relação entre estar sentado por longos tempos e ansiedade. E essa ligação necessita certamente de mais estudos”, adicionou. “É importante entender os fatores comportamentais que podem estar coligados à ansiedade para conseguir desenvolver estratégias baseadas na evidência para a prevenção e gestão desse problema”, afirma.

“Por ora, é como o mistério do ovo e da galinha. Não sabemos ainda se a ansiedade vem primeiro ou se é o estilo de vida sedentário”, observa a estudiosa. Na expectativa de mais pesquisas, o conselho aos sedentários é de aumentar a atividade física, que produz seguramente um estado psíquico e emotivo mais sereno e tranquilo.

O sedentarismo também tem relação com doenças como a obesidade, cardíacas, diabetes tipo 2 e osteoporose.

“Basta fazer um passeio de meia hora – ou melhor ainda, de uma hora por dia – para ter efeitos positivos seja sobre o físico seja sobre a saúde mental”, recomendou a pesquisadora.

Posts relacionados: