A matemática é, definitivamente, um bicho-papão e até mesmo as pessoas formadas na área sentem-se incapazes de fugir a uma das condições mais estudadas cientificamente: a ansiedade gerada pelos números

naom_55a365af4aeab

A ansiedade provocada pela matemática é real e não escolhe nem idades, nem géneros, nem, tão pouco, estatutos. O medo de números não afeta apenas crianças e tem sido alvo de estudo por parte da Ciência, que até hoje ainda está à procura de uma explicação para o impacto que a matemática tem na mente e no comportamento.

Num artigo recentemente publicado, a BBC tenta explicar um pouco sobre a ‘numerofobia’, uma condição impar e que pode levar crianças e adultos a sofrerem anos a fio apenas por estarem presentes a números, cálculos e soluções.

Após vários anos de investigação – primeiramente apenas em crianças – os cientistas detetaram que a ansiedade provocada pela matemática é geral e que, embora não seja perigosa, tem algumas implicações para o corpo, como a libertação de hormonas de cortisol, tal como acontece em situações de alerta, stresse ou medo.

Além disso, indica a publicação, um exame de matemática (e em alguns casos, simples contas) ativa a zona cerebral responsável pela reação a dores físicas, aumenta a sensação de alerta e também de pensamento abstrato (até agora, a razão mais apontada pelos ‘bloqueios mentais’ perante números).

Mas a ansiedade que a matemática provoca pode ser ainda justificada pelo facto de esta disciplina não permitir dar ‘asas à imaginação’ na resposta, exigindo sempre um cálculo correto, uma vez que só existe uma solução possível para a equação, cálculo ou exercício.

Contudo, diz a BBC, embora o medo da matemática não seja perigoso, pode levar a comportamentos de risco, como é o caso da incompreensão de estatísticas sobre riscos de fumar ou ter uma alimentação desequilibrada. Ler corretamente faturas, notas de IRS, faturas de água, luz, gás ou mesmo recibos de vencimento pode ser também uma tarefa árdua para as pessoas que não conseguem lidar com os números.

Para os cientistas, uma das formas de contornar esta fobia de números é olhar para a matemática como um desafio e não como uma ameaça. No caso das crianças e dos estudantes, escrever sobre os medos antes da prova ajuda a ter um raciocínio mais fluído e menos ansiedade perante os números.

(Via Notícias ao Minuto)

Posts relacionados: