95011623

Preocupações, tensões ou medos em excesso podem causar ansiedade no ser humano. Dependendo das circunstâncias ou intensidade, a ansiedade pode se tornar um fenômeno patológico, isto é, prejudicial ao nosso funcionamento psíquico (mental) e somático (corporal). A ansiedade, normalmente, estimula o indivíduo a entrar em ação, porém, em excesso, pode impedir reações.

Os transtornos de ansiedade são doenças relacionadas ao funcionamento do corpo e às experiências de vida. A sensação de ansiedade pode ser tão desconfortável que, para evitá-la, as pessoas deixam de fazer coisas simples, como usar o elevador, devido ao desconforto que sentem. Os sintomas variam, podem ir de falta de controle sobre pensamentos, imagens ou atitudes, até preocupações exageradas com saúde, dinheiro, família ou trabalho.

Para esclarecer dúvidas sobre o transtorno, o quadro Fala Saúde do Jornal Liberal 1ª edição traz, nesta quarta-feira (4), a psicóloga Sandra Lobato, que fala sobre sintomas e tira dúvidas dos telespectadores (Veja o vídeo acima). Confira abaixo:

O excesso de preocupação pode causar ansiedade?
Pode principalmente se a preocupação for algo que esteja fora da autonomia da pessoa. Quanto menos governabilidade ela tiver sobre uma determinação situação, e maior for a preocupação, maior tende a ser a ansiedade.

Uma pessoa inquieta é sinal que sofre com ansiedade?
Inquietação não significa ansiedade. Porém, se essa inquietação começa a se mostrar constante, a aumentar gradativamente, sob forma de uma preocupação excessiva, pode culminar em um processo de ansiedade generalizada.

O que fazer para acabar com a ansiedade?
É importante identificar o que está causando a ansiedade. Muitas vezes a pessoa está ansiosa porque a vida dela está difícil, com poucas fontes de prazer, fazendo com que ela procure na comida uma forma de recompensa.

Sofro com distúrbio de ansiedade. Isso é genético?
Ansiedade não é genética. O que há em muitos casos é uma família em que a mãe é ansiosa, o pai vive correndo, e a criança acaba sendo sociabilizada de forma ansiogênica. Ansiedade, sobretudo, é um comportamento aprendido.

O que faz uma pessoa sentir ansiedade e o que fazer para amenizar o problema?
Situações estressantes, pouco prazerosas e com pouca possibilidade de autonomia são fontes de ansiedade. E há também o estresse pós-traumático, normalmente envolvendo casos de violência, perdas, acidentes. Para amenizar o quadro ansioso há a psicoterapia, que vai ajudar a localizar os fatores estressores e o quanto esses fatores estão afetando a vida desta pessoa. Em alguns casos, há necessidade de avaliação psiquiátrica e uso de medicamentos. De qualquer maneira, fazer atividades prazerosas é importante: seja uma dança, uma atividade física que a pessoa goste, etc.

A ansiedade pode causar pressão alta?
A ansiedade pode sim causar pressão alta, é um dos sintomas. Diante dessa situação é melhor procurar um ambiente com mais tranquilidade, respirar fundo e aos poucos se acalmar. Como a ansiedade atua no Sistema Nervoso Autônomo, não se pode dar uma ordem ‘fica calmo!’. Isso acontece à revelia das pessoas.

A ansiedade causa enxaqueca?
É muito frequente ansiedade causar enxaqueca. Mas, em muitos casos, há a cefaléia tensional, uma sensação de “aperto” na cabeça, nas têmporas.

A ansiedade causa ardência e treme os lábios e rosto?
Pode ser uma manifestação. A ansiedade pode aparecer de múltiplas formas: mãos trêmulas, ou mesmo as pernas inquietas. Porém, se isso se manifesta fora de uma situação de ansiedade, é importante procurar um médico e investigar a causa.

A criança com imperatividade tem mais tendência em adquirir o transtorno de ansiedade generalizada? É possivel fazer o tratamento sem rémedio?
Criança com hiperatividade não tem tendência em adquirir TAG. O que ocorre é que dentro de quadros de hiperatividade em crianças, elas podem apresentar ansiedade. Há casos em que a hiperatividade e a ansiedade estão associadas, mas não é regra. Se o diagnóstico for apenas de ansiedade é possível fazer tratamento sem remédios sim. Em casos de déficit de atenção, o trabalho normalmente envolve terapias combinadas, tratamento com equipe multiprofissional porque o quadro é mais complexo.

 Fonte: G1 PA

Posts relacionados: