perguntas

Viver o tempo presente. Aproveitar cada segundo de cada momento, de forma intensa e integral é muito importante. Pensar no futuro também. Organizamos nossa vida no presente procurando um futuro tranquilo. Tudo certo.

No entanto, algumas pessoas invertem um pouco a ordem das coisas. Vivem focadas no futuro e esquecem que a vida acontece no tempo presente. O problema é que o futuro, posto que não aconteceu, passa a ser fruto da imaginação; um futuro virtual, portanto, que realisticamente ainda não existe.

O grande problema é que esse “futuro virtual”, em muitas pessoas, ganha formas e contornos bastante exagerados, que se traduzem em uma série de medos, preocupações e angústias com o que pode acontecer.

Por exemplo: uma reunião de trabalho difícil, uma prova na faculdade, um encontro especial ou qualquer acontecimento importante que está por vir. Os ansiosos ficam literalmente transtornados com o futuro evento, concretizando mentalmente todas as possibilidades, de tal forma que não conseguem pensar em outra coisa. Passam momentos do presente temendo um futuro imaginário.

Os sinais físicos da ansiedade são evidentes: o coração bate mais rápido, a boca fica seca, podem ocorrer tonturas, enjoos, há os que roem as unhas ou os que querem comer tudo o que lhes passa pela frente, principalmente se forem doces. Pode ocorrer também queda de cabelo, insônia, mau humor e tensão exagerada.

Estes sintomas, claro, geram muito desconforto. O momento presente deixa de existir e dá lugar a uma preocupação excessiva com o futuro que está por vir. Resultado: não se vive nem um, nem outro. Até porque o futuro imaginado geralmente é muito diferente do real.

Há tratamento. Hoje em dia existem inúmeros medicamentos ansiolíticos. Só o médico, no entanto, é que os pode prescrever. E o que funciona para uma pessoa pode não ser interessante para outra.

Mas o que todos podemos fazer, para uma vida menos ansiosa, é tentar nos controlar. Isso exige paciência, vontade e persistência. Mas não é impossível. Afinal, muitas vezes a melhor terapia é aprendermos a conviver com nós mesmos.

Como fazer isso? Vão aqui três dicas bem simples, mas que funcionam bem:

1. Tente viver mais o tempo presente

Tente focar mais intensamente no que você está fazendo no momento. Tem uma prova ou uma reunião difícil nesta semana? Prepare-se o melhor possível no presente. Faça uma agenda de suas atividades e planeje-se para elas. Essa segurança da preparação te dá tranquilidade e ajuda muito a diminuir a ansiedade. Planeje seu futuro, claro, mas com os pés e mente no presente. Viva melhor cada segundo do seu tempo e afaste os pensamentos com preocupações futuras que são descartáveis e desnecessárias.

2. Planeje suas atividades

Planeje dentro do seu tempo real, com calma. Jamais programe mais atividades do que o seu tempo permite. Parece óbvio mas não é. Saber que se tem tempo para fazer tudo pode, de fato, garantir mais tranquilidade e, consequentemente, menos ansiedade.

3. Aprenda a dizer “não”

Esta é uma palavra forte. E temos que, de fato, aprender a dizê-la no momento e hora mais apropriados. De nada adianta nos compromissarmos com determinadas tarefas para as quais não teremos nem tempo, nem capacidade para executar depois. Mesmo que isso signifique desagradar pessoas importantes. Lembre-se que um “não” sincero pode ser menos prejudicial do que um grande desapontamento depois.
O tempo presente é o seu maior presente na vida. Não o desperdice.

(Via G1)

Posts relacionados: